Rima Dela com Lívia Cruz: “A gente vive em um dos países mais violentos contra as mulheres no mundo”

No Brasil, a população feminina já ultrapassa o número de 103 milhões de mulheres, e uma em cada cinco já considera ter sofrido algum tipo de violência por homens, conhecidos ou não. Assédio, estupro, violência psicológica, exploração sexual, agressões por parceiros e feminicídio, ou seja “morte intencional de pessoas do sexo feminino”.

Foto: Marco Aurelio

O machismo mata e oprime, isso é um fato, e o que falar sobre ele em tons de desconstrução é algo necessário e que já é feito por grandes mulheres que se encontram na cena do rap nacional, uma delas é a rapper que entrou para o jogo e se destacou na safra da Golden Era este ano, que é Livia Cruz, e para fechar 2016 com chave de ouro, o Rima Dela é com esta mulher, nordestina e que colocou ordem, sim, na classe mostrando que ela e muitas mulheres incríveis da cena estavam lá e só não enxerga quem não quer. Então respeita a sua Tia!

“Eu sou de uma época em que música é um registro histórico. Você tá marcando uma era, você tá ali fazendo um registro de recorte de um tempo, e tá colocando isso para as pessoas que estão te ouvindo e para a futuras gerações. Então, a partir do momento que você naturaliza assédio, violência dentro de uma letra, você tá mantendo todo esse sistema como ele é, e a gente não quer mais isso, né?”, comenta Lívia Cruz durante a entrevista.

Há 15 anos no corre, Lívia nasceu em Recife, Pernambuco – cidade do movimento MangueBeat – e foi lá que começou a vivenciar um pouco da cultura Hip Hop. Ainda na adolescência se mudou para o Rio de Janeiro e se aproximou mais do rap, anos depois se mudou para Brasília e estreita as suas conexões com a cena, mas foi  em São Paulo – cidade onde vive atualmente – que se estabeleceu com sua música e hoje, é considerada uma das mulheres mais influentes no Rap Nacional.

Pra quem ainda não conhece, o Rima Dela é um projeto exclusivamente feito com mulheres, pelo coletivo Soul Di Rua (PE), com o intuito de dar mais visibilidade e voz as mulheres através de seus trabalhos, suas ideias, rimas e improvisos. Um espaço onde elas possam se expressar abertamente, mostrando a força e a importância de todas dentro do movimento Hip Hop.

A última edição está imperdível! Além de abordamos diversos temas como: política, carreira, maternidade, mulheres no movimento, invisibilidade e machismo, pude contar com a parceria maravilhosa de Déborah Diniz na filmagem desse conteúdo incrível.

No mais aguardem, que 2017 vamos chegar ainda mais pesadas.