Eu não assisto react, não por que eu não goste do formato, é por que eu tenho pouco tempo e o tempo que eu tenho eu uso pra escutar música. Tava esperando pelo cypher do Maka, já tinha visto algumas fotos circulando pela internet, mas eu queria ver o que aqueles MCs juntos tinham aprontado.

Mas quando eu fui pesquisar o vídeo não aparecia, só aparecia reacts no campo de pesquisa do Youtube (Sr. Google, vamos arrumar esses bugs que tão ficando cada vez mais constantes), aí eu cliquei no react do Treze e foi lá que eu tive a ideia de fazer essa matéria sobre o Makalister.

No vídeo Guilherme Treze disse que não conhecia muito bem o Makalister, até aí tudo bem, coisa normal não conhecer algum rapper. Mas foi aí que eu fui procurar outro react e vi o do Raí Faustino e ele quando foi falar do Makalister disse que num entendia as referências dele de cara, que o som era muito denso e difícil de pegar de primeira, até aí tudo bem novamente.

Peguei esses dois paradoxos, desses dois Youtubers e lembrei que eu tinha escrito em março sobre o EP “A Terça Parte da Noite”, eu tinha escrito muita coisa, muita coisa mesmo, e vários dos meus textos sobre aquele EP não entraram na matéria final que foi lançada aqui no RND.

Existia um pedaço do meu texto que realmente valeria a pena ser postada agora, por que bate de frente com o comentário do Faustino acerca das referências que Makalister faz nas músicas e também é uma forma de fazer com que o trabalho do Jovem Maka fique cada vez menos desconhecido do público.

Eu escrevi um texto onde eu tentava entender o que o Makalister falava de verdade na música “A Terça Parte da Noite Não Dormi”, faixa que integra o EP “A Terça Parte da Noite”. E você não encontrará essas referências no Genius heim.

Disseram-me que eu escrevia versos brandos.
– Verso o pânico
No universo transito

Nessa faixa eu começo falando que disseram-me que eu escrevia versos brandos e respondo dizendo: ‘Verso o pânico, no universo transito da…’, então eu começo a citar filmes que eu vi, filmes que entendi e filmes que me deixaram mais confuso ainda” (Makalister)

Da Terra em Transe até a Santa Sangre

“Terra em Transe” é um filme brasileiro de 1967, dirigido por Glauber Rocha e permeia por enredos políticos. “Santa Sangre” é o titulo original do filme “Sangue Ruim”, um filme italiano de 1989, cujo conta a história de Fenix, filho de um atirador de facas de um circo e de uma malabarista, que teve seus braços decepados pelo marido após flagrá-lo com uma mulher completamente tatuada. Ambos filmes são extremamente densos.

Imerso em Torrents

Essa referência você encontra no Genius. Se refere a esse mundo digital, que por mais que ele lhe proporcione uma infinidade de filmes com Netflix, ele nunca vai ser tão completo como “The Pirate Bay”, te oferecendo todos os filmes possíveis e impossíveis a uma distância de no máximo três cliques e alguns minutos de download.

Raising Arizona

Esse é o título original do filme “Arizona Nunca Mais”, filme americano de 1987, cujo enredo se baseia na vida de H.I. McDonnough e Ed McDonnough, um casal que não consegue ter filhos e nem adotar uma criança, então decidem roubar uma.

A Dupla Vida de Veronique

É um filme de tripla nacionalidade, França, Noruega e Polônia, filme multi-vencedor de premiações. Filme lançado em 1991 conta a história de Véronique, que é francesa e mora em Paris, decide largar as aulas de música e acaba por se envolver com um manejador de marionetes.

Esposa Turca

Esposa Turca é uma referência ao filme “Gegen die Wand”foi o primeiro nome da instrumental da música “A Terça Parte da Noite Não Dormi” que se encontra no soundcloud do artista: https://soundcloud.com/makalisterrenton/gegen-die-wand-1110pm

Viva em coreano

“Referência a uma garota que me lembrava a Esposa Turca em um filme coreano” (Makalister)

Como o Velho Kar em Dias Selvagens

É um filme asiático de 1990, o filme se baseia na vida de “Yuddy”, um rapaz que descobriu que sua mãe, uma prostituta, de fato não é sua mãe biológica, após a revelação de quem é sua verdadeira mãe, isso desencadeia inúmeras pertubações mentais em Yuddy. Além disso duas mulheres se apaixonam por ele, porém ele não consegue decidir com quem quer ficar.

“Dias Selvagens é muito foda e me vi numa situação parecida em um rolê que fui, algo mais interno.. me senti o Velho Kar” (Makalister)

A Terça Parte da Noite não dormi
Desatará meu dedos o Nó na Garganta
Café da tarde, Yung Lean, anos 50 em evidência

Yung Lean é um rapper sueco

Eu percebi, cataloguei, reconheci os traços nipônicos
Em teus cílios, formatos anatômicos
Lembra um Astrolábio, frutos do pensar islâmico
Não renuncio igual Sinésio de Cirene
Ramos de azaléas
Tuas sombrancelhas
Espartilhos, rendas, unhas pontíagudas

“São versos que eu disseco uma garota em todos os seus formatos, suas roupas, seu estilo, sua beleza, beleza a qual me fez viajar muito nela, uma garota” (Makalister)

Filhos noventistas
Compartilhem agulhas
Nada é tão distante de Bad Boy Bubby

Esses três versos estão completamente conectados, filhos noventistas é uma clara referência aos anos 90, geração de Makalister e o “compartilhem agulhas” segundo o próprio artista seria perder o medo de viver, romper as grades, sair de dentro do cubo, pois nada é tão distante de “Bad Boy Bubby”, que é um filme australiano de 1993, que tem uma história central baseada na vida de Bubby, um homem que viveu seus primeiros 35 anos de vida dentro de um porão sujo, trancado por sua própria mãe. O filme é pesado e com uma densidade exagerada, Bubby não tem noção do que é certo e do que é errado, incesto pra ele é algo corriqueiro e normal, sua mãe utiliza a violência para impor e regular o medo que Bubby sente. O ponto chave da nossa “liberdade” segundo o ponto de vista da música de Makalister é que nossa vida não será muito diferente da de Bubby guardada as suas devidas proporções, se não perdemos o medo de viver.

Abasteço o tanque enquanto compras um Blunt, um Halls de melancia e um tablete de Crunch

“É uma forma de libertação, algo simples e casual, como fumar um blunt, chapar no halls de melancia, laricar um crunch” (Makalister)

Máscaras e capas, frágeis são
Design do caos é a imaginação

“A imaginação desenha o caos, com a imaginação podemos derrubar qualquer coisa e instalar o caos… “ (Makalister)

Era de ranger os Dentes Caninos, feras, emancipem
Das drogas natalinas e suas vendas gritantes

“Dentes Caninos” é um filme grego de 2009, que conta a história de um pai e de uma mãe que tem uma casa isolada nos arredores da cidade. Seus filhos, duas crianças não tem nenhum contato com o mundo externo. Segundo Makalister “Dentes Caninos” é um filme que nos dá uma aula sobre o medo que nos injetam, emancipar as feras das drogas natalinas e do consumo absurdo dessas datas.

A vida será linda como foi em Elephant

“Elephant”, título original do filme “Elefante”, um filme norte-americano de 2003, filme que venceu a Palma de Ouro de 2003. O enredo do filme se baseia em dois adolescentes que vão para escola com metralhadoras semi automáticas e o filme se desenrola nesse sentido.

Jovens na quimio
O Ódio é um câncer

“Sem mais, o verso fala por si só” (Makalister)

Monogamia é cárcere, mate o ciúme ou mate-se!
Monogamia é cárcere!
Gaspar nos une, Irreversível
Carne.
Contra todos os cristos

“Gaspar Noé” (cineasta argentino) nos une em “Irreversível” (Irréversible é um filme francês de 2003, filme que contém cenas de estupro e de assassinato, um filme chocante) e “Carne”, (curta-metragem francês de 1992 também dirigido por Gaspar Noé) filmes com assuntos de conversas pesadas, as tragédias nos chamam a atenção, a vida crua” (Makalister).

Matéria Prima cabe no topo dos vícios
Por todas as linhas do “O Espírito”

Pensamos que “O Espirito” era referência a um filme, porém não é referência a nenhum filme e sim referência a música “O Espírito” do “Matéria Prima.

“É uma referência ao Matéria Prima que na música “O Espírito” ocupa o topo dos meus vícios. Linhas incríveis nesse som, incríveis mesmo, aula, estudo, lição.” (Makalister)

Não me vi nos espelhos
Sem fotos, reflexos, nomes
Berros. Perros latindo lá longe
O martírio do afronte, sem fontes na busca do alívio
Derrapo nas curvas do íntimo
As máquinas perdem o ritmo
Fora do alcance das mãos e mais próximo ao lixo
Caóticos ritos
Horários, pontos
Os próprios vícios criados em laboratórios gringos

“Eu falo sobre os momentos que me vi ausente, que não me vi nos espelhos, derrapando nas curvas do íntimos, não achando fontes nas buscas de alívio.. continuo dizendo que as máquinas podem perder o ritmo fora das nossas mão… Celulares, celulares, celulares, celulares, ritos caóticos, tudo programado, a vida, o Sonho Americano que nos é importado e se torna vício” (Makalister)

Cavalos de Turim, Bela Tarr
Criam Corvos ao ar livre
Decálogo e os quadros, Michael Haneke, La Pianiste

“Cavalho de Turim” é um filme francês de 2011, dirigido pelo cineasta Béla Tarr. “Decálogo” significa um conjunto de dez normas ou princípios. Michael Haneke é um cineasta e roteirista austríaco. “La Pianiste” é um filme de Michael Haneke do ano de 2001 e chegou ao Brasil com nome de “A Professora do Piano”

Nascido pra desfazer-se ao passo que mais se vive
O cais me livra
Nos náufragos da carga viva, A Terça Parte da Noite não dormi!

Pensamos que “náufragos” era uma referência. “A Terça Parte da Noite” que deu nome a mixtape é referência ao filme de mesmo nome lançado em 1971 dirigido por Andrzej Żuławski.

Alguns versos foram analisados pelo próprio artista a pedido do RND, foram alguns versos que precisavam de um auxílio do próprio artista para uma melhor compreensão e entendimento de todos.

Não é fácil entender o Makalister e ele parece que faz questão de ser menos entendível possível, é um rap que você precisa ouvir segurando um dicionário e um celular pra pesquisar as coisas no Google.

MAIS HISTÓRIAS